Páginas

1.11.08

O Bolo

Telefonema:
- Oi, estou fechando a padaria e até o momento ninguém veio buscar o bolo que a senhora encomendou.
- Tivemos um pequeno probleminha senhor, mas em 10 minutos estou passando ai para buscá-lo.
Caraca! Quem vai buscar o bolo? Não havia ninguém pra buscar o dito bolo! Grande idéia inventar um bolo no meio da tarde! Alguns segundos de pura tensão e, pronto, buscaríamos o bolo.
- Nossa, que bolo lindo!
O bolo já estava em “minhas mãos”, mas o cabelo não estava escovado, o vestido não estava comigo e um clima de tensão tomava conta de tudo. Será que vai dar tempo? Será que as pessoas vão aparecer? Vão gostar do lugar? Ahhhh, muita tensão! Eu não queria que fosse assim!
No QG já encontro um dos meus melhores abraços, mas continuo com aqueles grilos ali de cima. Não, não fui eu quem organizou a van, não sei quem vai, as pessoas não confirmaram nada pra mim. E quer saber do que mais, fui ter uma conversa séria com o secador.
- Ah não, não quero sair desse banheiro.
- Tudo bem...
Cabelo pronto. Porém ainda sem vestido e com o horário inicial da van já estrapolado. Chega o vestido. Adoro estar pronta!
Visitantes! Com a tensão inicial não tinha as visto ainda. Algumas pessoas infelizmente não poderiam ir junto, mas vieram dar um importante abraço. Fotos, bebidinha, descontração. Pronto, tudo bem mais calmo do que inicialmente. Chega a van. Vamos todos e, o bolo por pouco não fica esquecido. Alguém vai cuidar do bolo. Adoro esse pessoal! Ops, um esquecimento, alguns minutinhos perdidos, mas tudo dentro do esperado pra uma noite inacreditável, como diriam uns amigos meus. Agora sim, destino: Cidade Baixa, e seja o que o cara ali de cima quiser. E o bolo prestes a desmoronar (quem convidou o bolo?! Não estava dentro do contrato dele a viagem de 25km)...
Finalmente chegamos. Aventuras pro bolo descer da van e chegar ao local combinado. Mas ele chega, firme e forte (ok, nem tão firme assim). Ihhh, problemas com a lista (alguém, por algum acaso tinha me dito que seria simples? Era óbvio que não). Resolvido, o pessoal lá foi bem compreensivo e a galera entrou sem maiores problemas.
Ai, e onde estavam as pessoas? Aos poucos começam a chegar. Eba! O pessoal veio mesmo (não sei porque, mas eu tinha medo que não acontecesse). E de repente a festa estava completa! Fotos, muitas, até uns fotógrafos foram contratados em caráter emergencial. Finalmente a noite está como eu queria, cheia de música, dança, amigos e boas risadas.
Hora do bolo (antes que ele caísse de vez e o moço da copa tivesse um ataque cardíaco, tadinho). Brigas com o vento pra que as velas acendessem. Parabéns pra mim! Eu geralmente não sei o que fazer na hora do parabéns, e sempre lembro disso, mas foi um parabéns atípico, passou bem rapidinho! E vendo aquele lugar cheio de pessoas muito importantes na minha vida, assoprei as velinhas, fazendo pedidos, como fazia aos 5 anos (e com um chapeuzinho bem semelhante). Algumas pessoas querem os morangos, outras bolo de acordo com sua altura... E viva! O bolo finalmente ganhou o destino que eu imaginava, um tanto descaracterizado, mas foi. Fotos famequianas, fotos da prefa, e voltamos à festa.
Informaram-me que uma mocinha esqueceu o meu presente em casa (e os meninos com ímpetos de enforcar a pobrezinha), mas que nós vamos a um show muito especial no outro domingo (esses meus colegas são D+ mesmo!). E segue a festa, a dança, a música e as risadas. E a minha comanda mágica faz sucesso - claro que na falta dela, as coisas não mudam tanto assim, afinal os copos não corriam o menor risco de entrar em extinção.
Finalmente comi um pedaço do bolo, dividindo é claro, porque sempre tem alguém com preguiça de ir buscar, só esperando um pratinho aparecer...
- Nossa, que bolo gostoso! Eu não tinha comido ainda.
- Tem negrinho né?
- Tem sim.
- Nessa altura eu nem sinto mais e tá bem bom.
O telefone toca. E logo o tio da van está chegando.
E assim acaba mais uma noite daquelas que ficará pra história.

5 comentários:

Att Baby F.I. disse...

sabe o q eu acabei de lembrar e fiquei muito triste?
me esqueci do teu abraço :/

se eu te falar q prometo q ainda vou dar, ta valendo?










obs
meudeus, a palavra de verificação é bizarra: busonfa!

Diego disse...

Tenho certeza que a parte do "bolo e cervejinha" foi bem entendida!

Tudo perfeito!
Tava M...!

=D

Amo tu

p.s.: como na Cidade Baixa verte cerveja dos copos, né?
hahahahahahaha

Rafael disse...

No mínimo meus coposo de ceva vêm com um botãozinho mágico q nunca deixa eles ficarem vazios!
E sim, tinha negrinho, e mesmo trêbado, eu sabia q ele tava por ali!

:P

Ci disse...

Aaaaaiii.... não pude ir!

Abracinho virtual vale??

Beijin e abracin então! Tudebom! Sempre, né... q só em aniversário não tem graça!

Alice disse...

Bi, vou cobrar! :P
Di e Rafa: certo que a cerveja verte dos copos! E minha comanda realmente era mágica!
Ci, dessa vez vai valer, mas ai de ti que me apronte outra! :P

Bjins